Nota Fiscal Paulista – Curiosidades

Caso você tenha acompanhado o post “Nota Fiscal Paulista – Dúvidas e Benefícios”, neste você encontrará algumas curiosidades interessantes sobre o tema.

Segundo alguns especialistas, “miudezas” é que rendem créditos, ou seja, é com o volume de compras que você terá mais créditos, sendo que eles variam de acordo com o valor do imposto recolhido para cada produto.

As mulheres também tem mais chances de obter mais créditos, uma vez que elas são grandes consumidoras de roupas, sapatos e bolsas, produtos que dão maior retorno na Nota Fiscal Paulista.

Outros produtos que rendem mais crédito são as refeições em restaurantes, artigos para festas e cosméticos.

Os produtos com substituição tributária geram nenhum ou pouco crédito. Assim, produtos de grande valor, tais como carros e boa parte dos eletrodomésticos geram pouco ou nenhum retorno.

Combustíveis, remédios, cosméticos e veículos não geram créditos, entretanto, as notas dão direito a cupons para sorteios mensais. Mesmo se a compra der “crédito zero”, vale a pena por o CPF na nota para aumentar a quantidade de bilhetes para concorrer nos sorteios.

Produtos que geram menos crédito são as bebidas, autopeças, perfumaria, entre outros. Portanto, não se preocupe se você não lembrar do seu CPF na hora de pagar a conta do bar, a cerveja que te fez esquecê-lo não lhe daria crédito de qualquer jeito.

Os créditos são liberados duas vezes por ano: em abril, referente as compras feitas no segundo semestre do ano anterior e em outubro, referente as compras feitas no primeiro semestre do ano.

Muitas pessoas não pedem o CPF na nota pois acreditam que o governo irá rastrear seus gastos, gostos e sua renda. Alguns especialistas aconselhariam a essas pessoas que passassem a pagar suas despesas em dinheiro somente, pois o governo poderia rastrear sua vida financeira muito mais fácil através do uso do cartão de crédito, conta bancária, imposto de renda, comprovante de recebimento de salário, etc.

Vários outros estados adotaram ou pretendem adotar programas semelhantes ao programa da Nota Fiscal Paulista. A “Nota Fiscal Alagoana” teve todo o seu sistema baseado na NFP. Outros exemplos são a “Nota Legal” do Distrito Federal e “Minas Legal” no estado de Minas Gerais, entre outros.

Nos sistemas Base4, a inserção do CPF na nota é opcional tal como manda a legislação, entretanto, a indicação do CPF, quando solicitada pelo consumidor, é feita facilmente e o CPF, ao ser digitado, sofre uma verificação para saber se trata de um CPF válido. Com isso, o sistema evita erros na digitação do CPF e consequentes problemas no envio de informações erradas para a Secretaria da Fazenda. Ao emitir o cupom fiscal, o consumidor deverá verificar se os seus dados constam na parte superior do cupom, garantindo assim, que eles sejam corretamente informados pelo estabelecimento ao programa da Nota Fiscal Paulista.

Para saber mais, veja as fontes consultadas:

http://economia.uol.com.br/nota-fiscal-paulista/
http://www.fazenda.sp.gov.br/nota_fiscal/perguntas_frequentes/respostas_I.asp
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nota_Fiscal_Paulista
http://www.notafiscalpaulista.net.br/
http://www.minaslegal.mg.gov.br/
http://www.notalegal.df.gov.br/

0

Sobre o autor:

Autodidata em eletrônica e programação de computadores desde 1981, participa da engenharia, e projeto de sistemas de automação de varejo desde 2001. Possui licenciatura em Matemática pelo IMES-Catanduva.
  Artigos Relacionados

Adicionar um comentário